quinta-feira, 23 de outubro de 2014

07º Capítulo − Acho que o silêncio nos perturba ✓



Your love was breaking the law
But I needed a witness (Ah, ah, ah, ah)
So wake me up when it's over
It don't make any difference (Ah, ah, ah, ah)
Will it ever be solved?
Or am I taking the fall?
Truth was there all along
Tell me how did we miss it?
− Rihanna in Cold Case Love

− Então vamos. – Ela saiu da água e Claire abraçou-se à sua cintura. Parecia estranho mas era uma boa sensação. Chegaram ao carro e Demetria deu-lhe uma toalha.
− Toalhas no carro? – Uma ideia absurda para Claire.
− Eu já tinha tudo planeado. Eu sabia que não irias resistir a uma brincadeira! – Riu sapeca.
− Que piadinha! – Riu sem graça. Limpou-se e atirou a toalha para o porta-bagagens. Demetria fê-lo também e sentou-se no banco, colocou as suas mãos no volante e travou. − Claire?
− Diz, Dem’s! – Olhou-a enquanto colocava o iPhone no bolso.
− Porque vieste para cá? Para junto da Selena e da Miley? – Demetria falou séria.
− Porque queres saber isso? Foi, porque me quis afastar dos problemas. – Claire respondeu com uma voz muito trémula.
− Porque será que eu não me acredito nisso? – Demetria colocou as mãos na sua cara, de modo a pô-la de frente.
− Mas esta é a verdade! Eu estou a falar a verdade, Demetria! – Ela falou na tentativa falha de a convencer.
− Sim, claro. Aliás, os porcos também voam! – Ela ironizou colocando as mãos no volante gélido.
− Acredita no que quiseres! – Ela pareceu um pouco triste mas enfurecida, talvez pelo facto de ter tocado no pior assunto do Mundo.
− Desculpa, Claire! Só acho misteriosa a tua volta repentina. Desculpa-me! – Seguidamente ouviu-se um monte de “Desculpa-me!”.
− Okay! Não tem problema. Não fizeste por mal. Compreendo!
− Okay! Desculpa! – Desculpou-se uma última vez naquela noite. O caminho que fizeram até casa foi incómodo, muito, muito incómodo. Foram os minutos mais longos das suas vidas.
− Devonne… − Um sussurro muito apagado foi dito, fazendo com que quebrasse o silêncio. Porém fora a única a falar. Demetria olhou-a à espera que ela falasse. – Acho que o silêncio nos perturba. Vamos falar como se nada tivesse passado, okay? – Ela deu um sorriso torto.
− Eu odeio-te! Consegues convencer-me com meia dúzia de palavras e com esse sorriso? Ah, venceste! – Demetria disse com uma raiva falsa. Sim, falsa, porque ela não estava com raiva dela.
− Para com esse teatro! Eu sei que gostas da minha maneira! – Ela balançou os cabelos roxos.
− Bom, chegamos! Para de ser metida, Dona Longoria! – Demetria abriu a porta do carro e saiu. Abriu também a de Claire e entrelaçou as suas mãos nas dela.
− Porque estás a entrelaçar as nossas mãos?
− Sei lá! Acho que é algo que as minhas mãos fazem automaticamente. – Demetria sorriu. Abriu a porta e entrou dentro de casa.
− Demetria Devonne Lovato! – Alguém gritou pelo seu nome e pareceu bastante nervoso.
− Mãe? Ainda acordada? – Demetria estranhou o facto de Dianna ainda estar acordada.
− Onde estavas? Sabes que trabalha às sete horas da manhã? Que tens de sair à mesma hora que eu? Onde estavas?! − Dianna era uma mãe galinha. Ela não supera o facto de Demetria ter crescido. Ela sempre seria o seu “bebezinho”.
− Sim, sei! Mamã compreenda que eu cresci! Não sou mais a “Demetria Insegura”! Não precisa mais disso! – Demetria deu bastante ênfase no “Demetria Insegura”. Demetria odiava ter pequenas discussões com Dianna. Por isso abraçava-a no final da pequena discussão.
− Demetria! Saíste do trabalho sem deixares rasto! A Miley e a Selena saíram e voltaram algum tempo antes de vocês. Só que pareciam um pouco “animadas”, nem tentei falar com elas.
− Desculpem, mas acho que vou dormir! Boa noite. – Ela deu um passo e Demetria puxou-a pelo braço.
− Não! Espera, eu acompanho-te!
− Bons sonhos, meninas! – Dianna deu um beijo na testa de cada uma. Sorriu para Demetria e virou-se na direção do seu quarto.
− Parece que a tua mãe parou no tempo. − Claire colocou as mãos atrás das costas.
− É só às vezes que ela faz isto, não te preocupes. – Demetria bocejou. – Acho melhor irmos dormir, não?
− Sim, é melhor! – Ela concordou com Demetria. Subiram as escadas, ficaram paradas em frente à porta do quarto da Claire.
− Devíamos fazer mais encontros destes. Foi bom sair desta casa por umas horas. – Demetria acariciou o rosto delicado de Claire.
− Sim, acho que fazem uns meses que não saía com ninguém.
− Como? Como não sair com alguém tão perfeita? − Claire corou levemente.
− Para quê sair com uma outra pessoa se já se tem uma namorada? – Aquilo soava como música para a Demetria. “…Uma namorada”?
− Uma namorada? – Os seus olhos reluziram só de pensar que os seus sonhos estavam cada vez mais perto de se concretizarem.
− Eu disse namorada? Acho que me enganei! – Ela coçou a nuca, sabia, também, que não a convenceu. – Acho que é melhor ir dormir, mas agora é para valer! – Ela queria um buraco para se esconder, a vergonha estava estampada na sua cara.
− Claro! – Ironizou. Riu de lado e beijou-a perto do seu canto da boca. Ela estava disposta a despertar os seus sentidos. Queria provocá-la. Demetria deu as costas e deixou Claire embasbacada com aquela tentativa de sedução. Depois de destravar, abriu a porta branca, fechou-a e encostou-se nela. Ainda não acreditava no que se tinha passado.
− Então? Como foi? Conta tudo! – Deu enfase na palavra “tudo”.


Continue…

2 comentários:

  1. OMG!!!
    Ela disse namorada?Isso mesmo? O.o
    Demi safadenha,amo <3

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Sim, é isso mesmo, produção!
      Demi assanhada kkk

      Excluir